Origem

Atraídos pela cultura do trigo, um pequeno grupo de cerca de 80 famílias, imigrantes e filhos de imigrantes de origem germânica, vindos do estado de Santa Catarina, colonizou em 1949/50 uma fazenda no então município de Bagé/RS, distrito de Aceguá, para se dedicar à cultura do trigo na qual tinham tradição.

O número de famílias crescera até 1956, atingindo o número de 250, com uma produção recorde de 7.000 toneladas de trigo comercializada.

Já em 1957, com condições climáticas adversas e variedades de sementes sem resistência a doenças fúngicas, as frustrações nas safras de trigo foram totais. Fazendo com que muitas famílias procurassem se desfazer dos investimentos, liquidar os seus compromissos e emigrar para outros estados ou países.

Desanimados, em uma noite chuvosa e de intenso frio, em pleno inverno de 1959, um pequeno grupo de pessoas, composta por líderes, entre eles os Srs. Peter Isaac, Jacob Martens, Johann Janzen, Gerhard Giesbrecht, e outras, reuniu-se a fim de discutir e definir o rumo do núcleo colonial.

A partir daí, entendeu-se que a pecuária leiteira e a industrialização do leite, dentro do sistema cooperativo, estagnaria o êxodo e proporcionaria novo ânimo aos colonos. Então, reunidos em assembléia geral, no dia 24 de outubro de 1959, um pequeno número de produtores rurais, criou uma cooperativa agropecuária, com o objetivo principal de industrializar e comercializar leite e seus derivados. Foi constuída assim a Camal - Cooperativa Agrícola Mista Aceguá LTDA.



Material retirado do livro 'Camal 50 Anos - Atos e Fatos que Fizeram História' de Heinrich Ott